<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d8849594\x26blogName\x3dCaderno+de+Rascunhos+::\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://cadernoderascunhos.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://cadernoderascunhos.blogspot.com/\x26vt\x3d-9011780469144587243', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

Feliz férias

sábado, abril 28, 2007

"Durante 40 mil anos, o pateta sabia-se pateta e como tal se comportava. Os melhores pensavam por ele, sentiam por ele, decidiam por ele. Mas em nosso tempo, e só em nosso tempo, os idiotas descobrem que estão em maior número. E, então, investidos da onipotência numérica, querem derrubar tudo.

Diz o bom dr. Alceu que o grande acontecimento do século XX foi a Revolução Russa.
Errou. Houve e continua uma outra muito maior, sim, muito mais profunda: – a Revolução dos Idiotas."

Nelson Rodrigues

Que em 2007 os únicos atentados sejam ao pudor

quinta-feira, janeiro 04, 2007
Ciclistas nus protestam contra a poluição

Pinoshit: 1973 - 2006

domingo, dezembro 10, 2006
10 de dezembro
Dia Internacional dos Direitos Humanos

Pra levar pro lavabo

domingo, dezembro 03, 2006
Que revista seu bisavô levava para o lavabo, para estar entre os sabonetes Eucalol e o talco Ross? Se você não sabe, este site mostra qual era.

O chamado

quarta-feira, outubro 25, 2006

"Meu nome é Keiko e vivo em Tóquio, no Japão. Tenho um bom apartamento em Ochanomizu e você é bem-vindo a ficar aqui se tiver menos de 35 for bonito e for branco. Você economiza no custo do hotel (muito caro em Tóquio) e nos divertimos! – mas só se você for um cara branco. Não quero homens asiáticos, desculpem.

O que você ganha? Você pode ficar em meu apartamento – muito bom – ele será como uma casa para você e eu serei como uma namorada. Hehe. Minha cama é confortável e tenho tevê a cabo com programação em inglês.

O que eu ganho?? Faço sexo divertido com homens europeus e americanos… que adoro. Eles são tão sexys e yummy! Homens japoneses são porcos. E também posso praticar meu inglês com você, por favor."

A autora do anúncio, que prefere os brancos aos asiáticos, é uma estudante da Universidade de Tóquio. Quer praticar a língua inglesa em troca do ensino de meia-dúzia de palavras em japonês. E quer oferecer estadia em troca de sexo.


Mas a pergunta que fica é: será tudo verdade?

quinta-feira, outubro 19, 2006

Esta noite você vai ter que ser minha

domingo, outubro 15, 2006

Pouca gente sabe que sou fã de músicas brega. Mas das clássicas – muitas dos anos 70 e pouquíssimas dos 80. (Meu gosto musical é muito seletivo, sabe?)

Uma composição de Odair José se tornou o meu mais novo chiclete-de-ouvido: Vou tirar você desse lugar

A música conta a história de um homem que se apaixona por uma prostituta. Calma: nada a ver com alguma paixão deste signatário. O refrão da música, que também dá título à composição, tem soado aos meus ouvidos como uma promessa divina, um sonho para quem, como eu, é um descontente contumaz.

Em tempo: a gravadora Allegro Discos lançou este ano o disco Vou tirar você desse lugar – Tributo a Odair José, com gravações do Rei dos Radinhos de Pilha. Entre os intérpretes das canções estão Paulo Miklos, Los Hermanos, Zeca Baleiro, Pato Fu e Mundo Livre S/A.

Respostas do post anterior: dos vícios e outras virtudes

A incrível e extraordinária carta-corrente de Camila Cabete de la Assunción

domingo, setembro 10, 2006
Esta é a corrente de Camila Cabete de la Assunción, enfermeira boliviana que em 1893 inventou o chá verde, o chá Mate Leão e o chá Tender Leaf em saquinhos. Se você a está lendo neste momento, deverá enviar esta carta – na qual deverão estar listados seis segredos seus – a mais seis blogueiros, que por extensão deverão enviar correspondência semelhante a mais seis pessoas, sob pena de serem eternamente perseguidos pela maldição de Bartleby.

Ingrid Varella, jornalista do New York Times, recebeu uma carta igual a esta em 1920, nos EUA, e a ignorou. Alguns meses depois, após a decretação da Lei Seca, Ingrid não encontraria nenhum bar onde pudesse escrever suas crônicas por longos e intermináveis quatorze anos. Foi obrigada então a se juntar a seu primo, Alfonso ‘Al’ Capote, um importador de móveis.

Lady Janaína Bug, criadora de insetos em Dublin, na Irlanda, encontrou uma carta semelhante a essa no dia 16 de junho de 1904 mas não a respondeu. Dias depois, uma praga de gafanhotos assolou sua criação de joaninhas por 16 horas e a levou à completa ruína. Desde aquele dia, Lady Janaína tornou-se uma pessoa pessimista.

Paulo Pinheiro, artista plástico chileno conhecido por fazer instalações usando embalagens de vinagre, foi convidado para expor suas obras no Guggenheim. Antes de viajar para a exposição, recebeu das mãos do carteiro Antonio Skármeta uma correspondência igual a esta em 10 de setembro de 2001 e protelou a resposta. No dia seguinte, ele escolheria o vôo 93 da United Airlines para chegar a Nova Iorque.

Ricardo Branco, poeta e usineiro de cana-de-açúcar na Bahia, recebeu uma carta igual a esta das mãos de um de seus agregados em 1958. O fazendeiro não levou a sério as ameaças contidas na correspondência e a usou para acender um de seus charutos. Uma semana depois, sua filha Gabriela fugiu para Ilhéus com seu maior inimigo, um sírio chamado Nacib.

Ni Dolores, francesa moradora do subúrbio de Paris, recebeu dezenas de cartas no dia 15 de junho de 1955. Entre elas estava uma correspondência como essa, enviada por seu professor de inglês, Humbert Humbert. Ni ignorou o conteúdo da mensagem e foi acometida por uma séria de tiques nervosos nos dois anos seguintes.
_______________________________________________________

N. da R.: Esta corrente me foi enviada por Camila Cabete, do Vivendo a Vida Leve! Nela, eu deveria listar seis coisas sobre mim. Resolvi parodiar as famigeradas cartas-corrente e citar, nas entrelinhas, seis vícios meus. Também há referências a livros de ficção em cada um dos seis parágrafos da carta. Será que a leitora consegue identificar seis vícios e perceber quais são os seis livros citados nas entrelinhas deste post?

N. da R. 2: Este post tem o patrocínio das revistas Coquetel. Respostas na próxima postagem.

Xô, censura!

domingo, setembro 03, 2006

Este blogueiro de ocasião agora também pode ser chamado de criminoso. Afinal, este espaço é mais um a fazer parte da campanha "Xô Sarney", formada por mais de 80 blogs, após a censura imposta ao site da jornalista Alcilene Cavalcante pela Justiça Eleitoral.

Tudo começou com o cartunista Ronaldo Rony, que resolveu dar cores à sua indignação no muro de sua casa, ao fazer uma charge do candidato ao Senado pelo Amapá José Sarney. Logo depois, Alcilene publicou um post em seu blog, com a reprodução do desenho.

Foi o que bastou para a coligação de José Ribamar Ferreira de Araújo Costa, que mudou de domicílio eleitoral em 1990, para poder chegar com mais facilidade ao Senado, entrar com nove representações contra o blog de Alcilene, que saiu do ar no fim de agosto. No dia 1º de setembro, o blog de sua irmã, Alcinéa Cavalcante, também foi retirado do ar.

No texto apresentado à Justiça, a coligação de Sarney afirma: “É inaceitável que indivíduos que se dizem jornalistas armem uma longa teia de comunicação na internet para a prática de crimes.”

Ainda segundo a representação, os jornalistas “convocam eleitores e mais jornalistas e
internautas a comporem esse bando, inclusive de outros países".


Concordo com a turma do Sarney. Além de jornalista, agora também faço parte de um bando e sou criminoso – adeus crediário das Casas Bahia.

E é para apoiar a coligação de Sarney na ingrata tarefa de exterminar esse bando de criminosos do país que o Caderno agora apóia a sua concorrente a uma vaga no Senado, Cristina Almeida (PSB), que já subiu de 15,4% para 29% nas intenções de voto.


O homem. o mito

sábado, agosto 12, 2006
Daltony
já era. Meu novo mestre agora é
Carlos Magalhães Assistência Mundial, o Salvador do Planeta.



Jornalismo é isso aí

''Não há 'new journalism' nem 'old journalism'.
Há boa e má escrita, isso é que importa''

Lilian Ross, colunista da revista New Yorker desde 1945,
no debate 'Profissão repórter: a arte da reportagem', na Flip.

No flagrante, a dupla Cauê e Caô

segunda-feira, agosto 07, 2006

quarta-feira, agosto 02, 2006

Não vote nulo. Vote nele